Página Inicial Fale Conosco Assine o Paraná Centro
Publicidade

02/01/2017

Polícia Rodoviária do Porto Ubá lança campanha Farol Baixo: luz para a vida

Veículos devem circular com farol baixo nas rodovias da região

Veículos devem circular com farol baixo nas rodovias da região

Cabo Irmani, comandante da Polícia Rodoviária do Porto Ubá

Cabo Irmani, comandante da Polícia Rodoviária do Porto Ubá

Com a intenção de fortalecer a utilização do farol baixo nas rodovias da região, o Posto da Polícia Rodoviária do Porto Ubá lançou a campanha Farol Baixo: luz para a vida. Segundo o comandante, cabo Paulo Geremias Irmani, o objetivo da campanha é conscientizar os motoristas sobre a importância da lei que tornou obrigatório a utilização do farol baixo nas rodovias e os benefícios que a determinação proporciona aos usuários.
Um estudo realizado pela Polícia Rodoviária Federal, comparando o período entre julho e agosto de 2015 e 2016, mostrou uma queda de 36% nas colisões frontais, 56% no número de mortes, 41% nas lesões graves e 34% nos atropelamentos. Os períodos pesquisados compreendem o mês em que a lei passou a valer, com o mesmo período em que a lei não existia. “Os números são muito positivos depois da implementação da lei, e as estatísticas mundiais, onde a resolução foi implantada, também apontam a queda nos acidentes”, afirmou o comandante do Posto do Porto Ubá.
No entanto, ele esclareceu alguns aspectos que causam dúvidas no motorista. A lei obriga a utilização dos faróis baixos em qualquer tipo de rodovia, seja ela federal, estadual ou municipal. “A lei é bem clara e sucinta e não faz distinção de qual tipo de rodovia é obrigatória”, alertou.
Outra situação que é obscura para os motoristas se refere ao tipo de farol que deve ser acionado. A lei é especifica: luz baixa. A luz de posição, popularmente chamada de meia-luz, e os faróis auxiliares, chamados de faróis de milha ou cibiê, não cumprem a exigência da lei.
Quanto aos faróis altos, durante o dia, além de não cumprir o que determina a lei, podem causar o ofuscamento na visão dos motoristas que veem no sentido contrário. Alguns veículos novos ou importados vêm com o DRL (daylight running lamps) ou lâmpadas de circulação diurna. Esse tipo de farol, que tem iluminação em led, pode ser usado. Já a adaptação só tem validade se o veículo passar pela inspeção veicular e a alteração constar no documento do carro.
Irmani comentou que a atuação independe do motorista ser abordado ou não. “Durante patrulhamento na rodovia podemos emitir a infração sem a necessidade de abordar o condutor, desde que constatado que não está fazendo o uso dos faróis baixos”, ressaltou.
O comandante do Posto do Porto Ubá lembrou que a adaptação à exigência não tem custo algum para o motorista. “Basta apenas acionar o mecanismo no carro. É importante a proteção da vida”, defendeu Irmani.





< Voltar





Mais Lidas








Grupo 



 Página principal