Página Inicial Fale Conosco Assine o Paraná Centro
Publicidade

30/09/2013

Reserva de gás natural de Pitanga será licitada em novembro

Reserva de Barra Bonita deve alavancar o desenvolvimento regional

Reserva de Barra Bonita deve alavancar o desenvolvimento regional

Gás natural de Barra Bonita, em Pitanga

Gás natural de Barra Bonita, em Pitanga

Amauri Escudero Martins, secretário de representação do Paraná

Amauri Escudero Martins, secretário de representação do Paraná

Reserva de gás natural de Barra Bonita, no município de Pitanga, está incluída no 12º leilão da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que acontece em novembro

Após quase 20 anos de pesquisas, anúncios e expectativas, finalmente está próxima o início da exploração do gás natural da reserva de Barra Bonita, que fica na divisa entre Pitanga e Mato Rico. A ANP (Agência Nacional de Petróleo) anunciou para o final do mês de novembro o leilão do bloco para a exploração do gás.

A informação foi repassada com exclusividade ao jornal Paraná Centro pelo secretário de Estado de Representação do Paraná em Brasília, Amauri Escudero Martins, durante o 23º Congresso da Associação dos Jornais e Revistas do Interior do Paraná (Adjori), que aconteceu recentemente em Cornélio Procópio.

Segundo Martins, Pitanga faz parte da 12ª rodada de licitações da ANP, que ofertará 240 blocos exploratórios terrestres no Brasil, com potencial de gás natural em sete bacias sedimentares, localizadas nos Estados do Amazonas, Acre, Tocantins, Alagoas, Sergipe, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Maranhão, Paraná e São Paulo. Os blocos do Paraná, onde está incluída a reserva da localidade de Barra Bonita é considerada uma área de nova fronteira da exploração do gás.

Segundo a ANP, é uma forma de atrair investimentos para regiões ainda pouco conhecidas ou com barreiras tecnológicas a serem vencidas.

Localização
O bloco onde está a reserva de Barra Bonita está sendo comercializado como PAR-T-300 e tem uma área de 3.946 km². A linha divisória do bloco começa na cidade de Mamborê, segue por uma linha reta sentido Leste, passando por Iretama, chegando próximo à Nova Tebas; seguindo sentido Sul até próximo a Santa Maria do Oeste, passando pelo município de Pitanga, segue no sentido Oeste até Palmital, quando vai até a outra divisa, passando por Roncador.

Já outro bloco, que também será ofertado no leilão e que abrange a região central, é o PAR-T-309, que faz divisa ao Norte com o bloco anterior, enquadrando os municípios de Palmital, Santa Maria do Oeste e Campina do Simão. No Paraná, serão 14 blocos de exploração de gás natural concentrados na região Central, Oeste e Sudoeste do Paraná.

Amauri Escudero disse que as pesquisas na região foram feitas ao longo de muitos anos por diversas empresas, incluindo a Petrobrás. “Tenho certeza que o Paraná será agraciado com uma produção excelente de gás natural e que terá desdobramentos econômicos para o Estado e o país”, declarou.

O secretário de representação disse que não consegue precisar o potencial de produção de gás no bloco, mas ressaltou que a perspectiva é promissora e tem um ótimo tamanho para a exploração comercial. “Tenho certeza que ela é economicamente muito rentável e vai alicerçar não apenas a exploração do bloco, mas também de outros blocos vizinhos”, comentou o secretário, lembrando que existem vários modelos e formas de exploração desse gás natural. Mas é provável que possa começar com a transformação do gás encontrado superficialmente em energia elétrica, distribuindo nas linhas de transmissão. Com isso, viabilizando a pesquisa e a busca de gás em áreas mais profundas.

“Dessa forma, conseguem uma viabilidade econômica no primeiro momento e podem patrocinar uma pesquisa a longo prazo para o investimento em um gasoduto para transportar o gás para Ponta Grossa, Guarapuava, Curitiba, ou mesmo permitir a instalação de indústrias na região, especialmente ligadas ao setor de agroindústria”, analisou o secretário.

Amauri Escudero ressaltou a importância do trabalho do Governo do Paraná para que os blocos localizados no Estado fossem incluídos na licitação da ANP, lembrando o trabalho, em Brasília, que foi acompanhar desde o primeiro momento a intenção do Brasil de retomar os leilões de petróleo e gás natural. “Conseguimos influenciar positivamente a decisão para que se instalassem blocos de exploração fora do mar e, agora, virá o leilão em continente. O governador do Paraná, Beto Richa, atuou decisivamente para colocar as reservas de gás do Paraná na 12ª rodada de leilão”, finalizou Amauri Escudero.





< Voltar





Publicidade



Mais Lidas








Grupo 



 Página principal