Página Inicial Fale Conosco Assine o Paraná Centro
Publicidade

29/08/2016

Dores nas costas: como a fisioterapia pode ajudar

Colunista Vandia

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) todas as pessoas em algum momento da vida sofrerão de dores nas costas em diferentes graus, ou seja, umas mais intensamente e outras nem tanto.

A origem destas dores tem diversos motivos, dentre os principais: má postura, desgaste de uma articulação, movimentos bruscos, inflamações, carregar peso em excesso, obesidade, falta ou excesso de atividade física, atitudes repetitivas entre outros tantos que, se não tratados de maneira adequada, podem agravar mais a situação.

O tratamento destas dores consiste, primeiramente, em uma consulta a um profissional especializado, médico ou fisioterapeuta que realizará teste e solicitará exames para detectar a causa, o grau de acometimento e a localização exata da dor. Em seguida, irão estabelecer um programa de reabilitação adequado a cada pessoa visando à diminuição da dor e o aumento da flexibilidade e da força dos músculos responsáveis pela manutenção da boa postura.

A fisioterapia age como coadjuvante no tratamento dessas dores, inclusive, com foco na prevenção: alongamento e fortalecimento da musculatura responsável pelo sustento da coluna realinha as estruturas que podem estar comprometidas, diminuindo aquela sensação de “queimação” e “pinçada”.

Além disso, a fisioterapia reeduca a postura. O fisioterapeuta ensina ao paciente exercícios e alongamentos de fácil execução, que podem ser realizados em casa pelo próprio paciente, e oferecer sugestões importantes quanto a execução adequada das atividades diárias como melhores posturas para trabalhar, sentar, carregar peso, dormir e até a maneira ideal para se exercitar.

As dores nas costas são um problema comum entre as pessoas. Solucioná-la ou amenizá-la requer persistência e disciplina de quem sofre com ela e depende também de uma boa orientação dos profissionais da saúde.

Ultrassom
O ultrassom é uma modalidade passiva: um complemento ao tratamento principal (por exemplo, exercício físico). As modalidades passivas são tipicamente usadas para relaxar o paciente, como uma distração à dor e/ou para aquecer os músculos para o exercício físico.

O que é ultrassom?
O equipamento de ultrassom gera ondas de som de alta frequência que são transferidas para uma região específica do corpo por meio de uma sonda transdutora arredondada. As ondas de som penetram nos tecidos (por exemplo, músculos), criando um calor ameno.

Tratamento para dor nas costas
O fisioterapeuta geralmente aplica um gel hipoalergênico na pele, que cria uma superfície livre de fricção. Usando o transdutor com movimentos circulares suaves, o terapeuta administra o tratamento, que dura alguns minutos.

O ultrassom também pode ser usado em fonoforese. Esse tratamento envolve a aplicação de um medicamento antiinflamatório tópico. O medicamento pode ser misturado ao gel do ultrassom e aplicado na região com o uso do transdutor. As ondas ultrassônicas forçam o medicamento a migrar para os tecidos, reduzindo a inflamação.

O tratamento é doloroso?
Não.

Como é que o paciente se beneficia com o ultrassom?
Enquanto o transdutor desliza pela pele, as ondas de som penetram a superfície cutânea fazendo os tecidos moles vibrarem e assim geram calor. Em consequência, o calor induz à vasodilatação: leva sangue para os tecidos alvo. Um maior fluxo sanguíneo fornece o oxigênio e nutrientes necessários, além de remover as células mortas.
O calor ajuda a aliviar a dor e a inflamação, reduz os espasmos musculares e acelera a cura. Dependendo da região do tratamento, o âmbito de movimentos pode ser aumentado.

Estimulação nervosa
A estimulação nervosa elétrica transcutânea – também conhecida como TENS ou TNS, segundo a sigla em inglês, é uma modalidade passiva, não invasiva, que não causa dependência, sem efeitos colaterais conhecidos. A TENS funciona para diminuir a percepção da dor e pode ser usada para controlar dor aguda e crônica. Pode ser usada em combinação a outros tratamentos, como exercício físico leve e fortalecimento.

A estimulação nervosa elétrica transcutânea envia uma corrente elétrica indolor a nervos específicos. A corrente pode ser transmitida de modo intermitente. A corrente elétrica de baixa frequência gera calor para aliviar a rigidez, melhorar a mobilidade e aliviar a dor. Acredita-se que o organismo produz endorfinas ou analgésicos naturais.
Mantenha a vida em movimento! Consulte um fisioterapeuta.

Dra Vândia Leal
Fisioterapeuta:
Crefito 8: 96373-F
 (43) 9648-1050
Fonte/Jornal Alternativo





< Voltar





Mais Lidas








Grupo 



 Página principal