Página Inicial Fale Conosco Assine o Paraná Centro
Publicidade

22/02/2016

Relação da respiração com a reeducação postural

Colunista Vandia

Apesar de podermos interferir sobre a respiração voluntariamente, ela acontece basicamente de forma automática, sem que percebamos quais músculos estão envolvidos neste processo.
O papel desta função fisiológica é manter a oxigenação de todas as células do nosso corpo e eliminar gás carbônico.

A maneira como se respira, no entanto, pode ser diferente de um indivíduo para outro, dependendo de restrições associadas a algumas doenças (rinite, asma, enfisema, etc.) ou simplesmente ao grupo de músculos que mais são utilizados. Alguns respiram predominantemente “pela barriga” (respiração diafragmática), enquanto outros respiram mais pelo tórax (respiração torácica) ou ambos (respiração mista).
Do ponto de vista ventilatório não há diferença entre elas, ou seja, qualquer uma é capaz de cumprir o papel de oxigenação e eliminação de gás carbônico.

No entanto, do ponto de vista muscular, é interessante analisarmos se a maneira de usar estes músculos não está causando impactos negativos sobre a postura.

É necessário haver um equilíbrio entre a inspiração e a expiração.
Situações de ansiedade, tensão e medo fazem com que tenhamos uma tendência a inspirar mais do que expirar. É comum portanto surgirem dores no pescoço e nos ombros, já que os músculos situados nestas regiões (escalenos e trapézios) acabam sendo solicitados por uma “falsa demanda respiratória”.

A pouca mobilidade da caixa torácica durante o processo de respiração também pode estar associada a dores nas costas, sobretudo na região torácica e na região lombar alta. Estas dores podem estar associadas ao encurtamento do músculo diafragma.

Este músculo fundamental para a respiração tem uma porção que se fixa na parte anterior e lateral do tórax e outra porção na parte posterior do tórax. Porém, a grande maioria das pessoas utiliza apenas a porção anterior.

Por isso, quando pensamos em respiração, o movimento deve acontecer em toda a circunferência do tórax, assim todas as porções do diafragma estarão sendo estimuladas.

Além disso, pelo conceito de cadeias musculares, este músculo liga-se a outros músculos estruturas tendíneas pelas fáscias musculares (espécie de envoltório dos músculos). Assim, a maneira de respirar pode “mascarar” o encurtamento de outros músculos como peitorais e músculos do pescoço.

Tanto o Pilates, como o RPG e outras técnicas posturais consideram a respiração como parte importantíssima do trabalho.
Além de conscientizar o indivíduo sobre a relação dos músculos da coluna vertebral e as curvaturas fisiológicas, o exercícios respiratório com objetivo de mobilizar o tórax evidenciam os encurtamentos musculares que necessitam ser trabalhados.

Fazer o trabalho respiratório de maneira consciente exercita também a coordenação e promove o relaxamento muscular.
Inspire, expire e perceba-se!

DraVândia Leal
Fisioterapeuta
Crefito 8: 96373-F
Vanmed Clínica de Fisioterapia Estética e Nutrição
(43) 9648-1059
direcaovanmed@hotmail.com





< Voltar





Mais Lidas








Grupo 



 Página principal